VOLUNTÁRIOS PODEM SE CADASTRAR PARA MEDIR QUALIDADE DA INTERNET

Projeto de medição já está presente em todas as regiões do país

A Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel, ainda precisa de voluntários para o projeto que está medindo a qualidade da banda larga fixa no Brasil. O objetivo é ter um raio-x da internet em todas as regiões do país, com vários perfis de usuários e diferentes tipos de pacote. A medição é feita por meio de um aparelho chamado whitebox, que é distribuído gratuitamente para os voluntários selecionados. Na última semana, os participantes da Bahia, Maranhão e Pará começaram a receber os equipamentos. O projeto já vem funcionando em onze estados mais o Distrito Federal. O resultado da pesquisa vai ser importante para ajudar o governo a melhorar o serviço.  Quem quiser se inscrever como voluntário para medir a qualidade da internet deve visitar o site www.brasilbandalarga.com.br.

por Danyella Proença

Pesquisadores dos EUA descobrem possível ‘cura’ para diabetes tipo 1

Desativação de hormônio dispensaria injeções de insulina, dizem cientistas. Testes pré-clínicos foram feitos em camundongos.

Uma equipe do Centro Médico da Universidade do Sudoeste do Texas, nos Estados Unidos, sugere que a desativação de um hormônio pode ser suficiente para tratar diabetes tipo 1, uma doença autoimune – na qual o sistema de defesa ataca as células e tecidos do próprio corpo -, que faz as concentrações de açúcar no organismo ficarem muito altas. A descoberta será tema de edição de fevereiro da revista especializada “Diabetes”.

Liderados por Roger Unger, professor da instituição e principal autor do artigo científico, os pesquisadores testaram a capacidade de camundongos, cobaias comuns em testes pré-clínicos, aproveitarem o açúcar presente no sangue, fruto da alimentação dos animais.

O truque foi alterar geneticamente os roedores para que produzissem quantidades menores de uma substância conhecida como glucagon, responsável por impedir que os níveis de glicose (açúcar) fiquem muito baixos.

No caso dos diabéticos, essa ação do glucagon faz os níveis de glicemia aumentarem muito. Esse efeito seria compensado em pessoas saudáveis pela ação da insulina, responsável por permitir que o açúcar penetre nas células do corpo. Dentro delas, a glicose poderia ser imediatamente aproveitada para gerar energia ou armazenada. Mas para os pacientes com diabetes tipo 1, a produção de insulina não existe ou é seriamente comprometida.

Mas os pesquisadores norte-americanos acreditam que os resultados obtidos com os camundongos apontem que, caso os níveis de glucagon consigam ser controlados, a insulina se torna supérflua, já que os níveis de glicemia estariam normais, dispensando as injeções da substância para equilibrar a “balança” do açúcar no sangue.

Batalha de hormônios

A insulina deixa de existir em pacientes com diabetes tipo 1 pois o sistema de defesa do corpo ataca 90% ou mais das células beta, estruturas localizadas em uma região do pâncreas conhecida como Ilhotas de Langerhans. Com a ausência da insulina, os níveis de glicemia no sangue não abaixam e não há ação para impedir a influência do glucagon.

O “padrão ouro” de tratamento da doença é por meio de injeções de insulina, desde a descoberta da doença, em 1922. Os pacientes precisam receber as doses da substância durante boa parte da vida. No universo de todas as formas de diabetes, o tipo 1 responde por 10% dos casos e a maior parte das pessoas com o desenvolve antes dos 30 anos.

(G1) Foto internet

 

Biochip, a revolução na medicina

 

 

Num futuro muito próximo o pediatra poderá dizer aos orgulhosos pais se o seu bebé é portador de qualquer deficiência genética, ou se a criança tem propensão para vir a sofrer de problemas tão vulgares como a gripe, o reumatismo ou mesmo o cancro. Os médicos terão igualmente a possibilidade de diagnosticar precocemente patologias do paciente, ou mesmo prevê-las, e aplicar terapias personalizadas que se ajustarão como uma luva ao perfil molecular do doente.

O protagonista desta verdadeira revolução biomédica é o microarraybiochip, ou chip de ADN, que será dentro em breve tão vulgar como uma radiografia, uma análise de urina ou um TAC.

Antes do biochip a medicina genética era quase artesanal e os avanços faziam-se passo a passo, gene a gene. Hoje, graças a este chip de ADN às ferrramentas bioinformáticas é possível processar milhares de dados em poucos minutos e a um preço cada vez mais reduzido.

O processo é simples: no microarray, que tem o tamanho de um bilhete de autocarro, são depositadas, de forma ordenada, milhares de sondas genéticas, fragmentos de ADN cuja sequência é conhecida, e que são comparados de forma automática com as sequências de fragmentos de ADN do paciente mediante um processo conhecido como genotipagem, e assim estudar a expressão genética (a síntese das proteínas) e os polimorfismos dos nucleótidos (SNPs), que são os elementos isolados de ADN que variam de pessoa para pessoa.

A indústria da biotecnologia está a trabalhar em ritmo acelerado e são muitos os microarrays já concebidos. Por exemplo o CNIO lançou o Oncochip concebido para diagnosticar o cancro e que tem registados 9300 genes presentes nos tumores mais frequentes, a Lacer SA e a Progrenika-Medplant conceberam o Lipochip que diagnostica mesmo antes do aparecimento dos primeiros sintomas a Hipercolesterolémia Familiar, a Agendia comercializa o MammaPrint que analisa o risco de metástases do cancro da mama, a BioDoor Gene Technology criou o BiodoorHCV para o diagnóstico da Hepatite C, a Xeotron idealizou o XeoEx SARS que diagnostica a pneumonia atípica, a Dr. Chip Biotechnology desenvolveu o microarray Dr. Food Kit que detecta nove dos agentes patogénicos mais habituais na comida, e a Affymetrix, está a desenvolver testes de toxicidade que possam demonstrar se um determinado medicamento tem ou não mais efeitos prejudiciais do que benéficos.

Graças aos chips genéticos e à alucinante tecnologia que os envolve, o caminho rumo a uma medicina personalizada, baseada na informação genética, em que as doenças são substituidas pelos doentes, está a tornar-se uma realidade: para cada paciente o medicamento adequado e a dose exacta.

E o único limite para a aplicação dos biochips é já hoje, claramente, a imaginação.

 

Operação Beryllos: Policia Federal desarticula comercio ilegal de pedras preciosas em Sr do Bonfim e Campo Formoso

A Polícia Federal prendeu até as 7h30 desta quarta-feira (5) 19 pessoas suspeitas de fazer parte de uma quadrilha que atuava no comércio ilegal de pedras preciosas. Doze suspeitos de envolvimento no esquema foram detidos na cidade de Campo Formoso, na Bahia, enquanto outros sete foram pegos no Rio de Janeiro.

A Operação Beryllos foi deflagrada nesta manhã e visa cumprir 24 mandados de prisão temporária e 32 de busca e apreensão nas cidades de Campo Formoso e Senhor do Bonfim, na Bahia, além do Rio de Janeiro. Carros de luxo e pedras preciosas já foram apreendidos nesta manhã, além de documentos relacionados ao esquema. De acordo com a Polícia Federal, uma quadrilha atua na extração e exportação de pedras como citrino, ametista e esmeralda, que eram enviadas de forma irregular para países da Ásia.

O comércio era realizado por meio de empresas localizadas no Rio de Janeiro. A Receita Federal apoia a operação, já que documentos fiscais seriam emitidos pela Inspetoria da Secretaria da Fazenda do Estado em Senhor do Bonfim, sem que fossem declarados os valores reais da transação. A Polícia Federal não sabe o valor dos tributos sonegados, mas estima que cheguem à casa dos milhões de reais.

O prejuízo aos cofres públicos será apurado por meio da análise do material apreendido. O grupo pode ser autuado por crimes ambientais, usurpação de patrimônio público da União, crimes tributários, descaminho, falsidade ideológica, receptação, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Fonte :G1 / fotos : falanddotudo.com

Queijeiro português vistiou criadores de Senhor do Bonfim

O empresário português José Matias, proprietário da tradicional Casa Matias visitou a Bahia para conhecer criadores de ovinos e caprinos. O objetivo é fazer um diagnóstico da produção baiana e avaliar a realização de parcerias para produção de laticínios.

A vinda à Bahia é fruto da missão empresarial baiana, organizada pela Secretaria da Agricultura da Bahia e Federação das Indústrias do Estado da Bahia, realizada entre os meses de outubro e novembro, que esteve em Portugal, Espanha e Itália para trocar informações com produtores europeus.

Ele começou suas visitas na quinta-feira, 29, pela cidade de Juazeiro, norte do estado. Logo depois, foi a Senhor do Bonfim. José Matias conheceu a fazenda de um dos principais criadores do estado da raça Dorper, Luiz Teixeira, e participou de jantar na Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos de Senhor do Bonfim (ACCOSB).

No sábado, acompanhado do Diretor Técnico do Sebrae Bahia, Lauro Ramos, do Superintendente da Secretaria de Agricultura do Estado, Jairo Vaz, do Secretário da Agricultura, Eduardo Salles, e da gestora do Ponto de Atendimento do Sebrae de Senhor do Bonfim, Siomara Guimarães, José Matias visitou um laticínio do Projeto Pulmão Verde, no município de Ponto Novo.

Eduardo Salles explica que a intenção do empresário português é avaliar parcerias com laticínios e produtores baianos para produzir queijos semelhantes aos feitos em Portugal. Profundo conhecedor do setor, José Matias acredita que a Bahia tem condições de produzir queijos de qualidade com leite de cabras e ovelhas, podendo ainda ser acrescentado o leite de vaca a esta mistura. Depois de visitas e reuniões, os produtores apresentaram as oportunidades e vantagens de investir na Bahia.
Para Siomara Guimarães, a troca de experiência será fundamental para que os criadores regionais possam melhorar suas tecnologias. Os municípios de Valente, Baixa Grande, Morro do Chapéu, Irecê e Jussara também foram visitados. José Matias cumpriu agenda até o dia 02 de dezembro, quando retornou a capital do estado para seu último compromisso na Bahia, um encontro com produtores no encerramento da 25ª Fenagro.

Em Janeiro do próximo ano, o empresário espanhol Santiago Pajuelo, proprietário da Pastoralia, uma das empresas produtoras de queijo mais premiadas na Espanha, vai desembarcar em Salvador para, assim como o português José Matias, visitar as regiões produtoras de ovinos e caprinos e conhecer a indústria baiana de queijos.

por Tamara Leal

Definida a premiação da Copa do Nordeste 2013

 

Em Recife-PE, uma reunião envolvendo representantes dos clubes que vão disputar  a Copa do Nordeste de 2013, definiu   que cada equipe que participar da competição  irá receber  R$ 300 mil pela sua participação no certame. A TV Esporte Interativo, detentora dos direitos televisivos da competição, vai arcar com os custos de viagens e hospedagem das delegações.

Bahia, Vitória, e o representante de Senhor do Bonfim o feirense, são os representantes baianos na Copa do Nordeste de 2013.

Campeão

A premiação para o clube campeão será de R$ 800 mil, somados aos R$ 300 mil pela participação totalizam R$ 1, 1 milhão para quem levantar a taça.

Por Caio Costa e falandotudo.com

JACOBINA: DIPLOMAÇÃO DOS VEREADORES,PREFEITO E VICE SERÁ NO DIA 14 DE DEZEMBRO

Foto divulgacional

A diplomação do prefeito de Jacobina, Rui Rei Matos Macedo (PMDB), do vice, José Maria Fagundes(PPS) e dos vereadores eleitos na eleição de 7 de outubro,será no dia 14 de dezembro, às 10h, no Fórum Jorge Calmon,na Rua Margem Rio do Ouro.

O médico cardiologista Rui Macedo, 55 anos, vai administra o município de Jacobina pela segunda vez. O peemedebista venceu com 17.429 votos a disputa eleitoral.

A cerimônia de diplomação aberta ao público será conduzida pelo o Excelentíssimo Senhor Dr. Vicente Reis Santana Filho, Juiz Eleitoral da 46ª Zona. A posse irá acontecer no dia 1º de janeiro na Câmara de Vereadores.

Redação Falandotudo.com