Record cria deserto cenográfico para gravar José do Egito

Nada como um dia de sol forte para reproduzir bem o clima desértico de José do Egito. A trama da próxima minissérie bíblica da Record se passa, em sua maior parte, em regiões áridas. E, durante as gravações na cidade cenográfica, era possível identificar essa característica. Não só pelo calor, mas pelos elementos distribuídos no local. Havia muitas tendas espalhadas; animais, como vacas e cabras, em suas cercas repletas de palha; figurantes que faziam objetos de argila com as mãos, além do figurino pesado do elenco. Tudo recriava a vida de um acampamento no deserto 2000 anos antes de Cristo.

“De certa forma, o clima quente ajuda, compõe a favor. Só não pode estar um calor insuportável”, analisa Alexandre Avancini, diretor da produção, que se preocupa, em primeiro lugar, com o bem-estar de seus atores.

“Todo o nosso elenco tem stand in para fazer a marcação de luz e, assim, não derreter a maquiagem, além de estar inteiro na hora de gravar a cena”, revela.

Record cria deserto cenográfico para gravar José do EgitoPara os atores, a atmosfera seca e quente só contribui.

“A gente tem uma identificação imediata. Entrar no ‘set’ nos ajuda muito para fazer a composição dos personagens e das relações entre eles”, assegura Caio Junqueira, que encarna Simeon.

Na sequência gravada, José, que na fase jovem é interpretado por Rick Tavares, é nomeado pelo pai, Jacó, personagem de Celso Frateschi, como seu sucessor. Para selar o ato, o filho ganha uma tnica de seu progenitor, que avisa ao jovem que ele fará, a partir de agora, todo o serviço pesado, além de aprender a ler e a contar. A atitude, no entanto, deixa todos os outros filhos revoltados.

“Mas esse é um direito do primogênito”, diz Guilherme Winter, interpretando Rubem.

Antes da gravação, os atores ensaiaram seus textos e marcações algumas vezes, sempre debaixo de um grande difusor para amenizar a luz do sol em cima deles. Avancini acompanhava de perto cada fala, sem deixar de atentar para pequenos detalhes.

“Depois a gente acerta o fio da câmara porque o pessoal está no sol. Vamos concentrar, é uma cena longa”, pedia o diretor.

A mesma cena era repetida algumas vezes, de ângulos diferentes. A câmara quase nunca ficava parada. Ou captava as imagens em cima de um carrinho em movimento ou presa por uma grua controlada por controle remoto.

“As câmaras e as lentes dão um diferencial que se nota de imediato, trazem uma excelência de imagem de cinema americano”, assegura Avancini, que adotou pela primeira vez o uso de câmaras Arri Alexa, as mesmas utilizadas em produções como Game Of Thrones, Hugo Cabret e Os Vingadores.

Mas, por mais cuidados que a direção tenha, o imponderável sempre pode acontecer. Volta e meia, a gravação precisava parar porque um avião passava fazendo barulho. Ou então, alguma vaca mugia no meio da cena. Em um momento, inclusive, a interrupção do bicho foi, de certa forma, propícia e arrancou gargalhadas na cidade cenográfica. Quando Celso Frateschi errou o texto pela quarta vez, coincidentemente, um dos animais presentes no cenário emitiu um som alto, como se estivesse reclamando com o ator, que prontamente se desculpou:

“Está bem, vou acertar!”.

Depois, a criança que estava no colo de Carla Regina, que interpreta Bila, começou a chorar incessantemente. Mais uma vez a gravação foi interrompida e o pequeno foi substituído, temporariamente, por um boneco.

“Tem coisas que são mais importantes que o roteiro, uma delas é o bem-estar de uma criança. A gente faz os planos gerais com o boneco e tenta, ao máximo, poupar a criança”, frisa Avec.

“Isso tudo faz parte do processo industrial de cinema americano que eu tento imprimir, no sentido da organização”, pondera o diretor.

Artigo ‘tamanho do pênis humano’ foi mais popular que o de água na Wikipédia em 2012

O topo da lista anual de artigos populares na Wikipédia em português, divulgadanesta sexta (28) teve poucas surpresas: é encabeçada por “Brasil”, “Luiz Gonzaga”, “Orkut”, “Facebook”, “One Direction”, “Dia dos Namorados”, “Voleibol”, “Google”, “Jogos Olímpicos” e “Segunda Guerra Mundial”.

Divulgação
Wikipédia lusófona tem cerca de 760 mil artigos
Wikipédia lusófona tem cerca de 760 mil artigos

Contudo, entre os outros 90 verbetes da enciclopédia que completam o “top 100” lusófono há duas aparições peculiares: “sexo anal” figura na 49ª posição, algumas à frente de “tamanho do pênis humano” (86ª).

Para comparar a popularidade dos dois artigos, que receberam respectivamente 989 mil visitas e 841 mil visitas ao longo do ano, “capitalismo” ficou no 79º lugar, logo à frente de “Copa Libertadores da América” e de “aquecimento global” e mais distante de “água” (95º) e Adele (100º).

Há cerca de 760 mil artigos na Wikipédia em português.

O Facebook encabeçou as listas anglófona e hispanófona, reproduzidas abaixo (número de visualizações entre parêntesis).

WIKIPÉDIA EM INGLÊS

1. Facebook (32.647.942)
2. Wiki (29.613.759)
3. Deaths in 2012 (25.418.587)
4. One Direction (22.351.637)
5. The Avengers (2012 film) (22.268.644)
6. Fifty Shades of Grey (21.779.423)
7. 2012 phenomenon (20.619.920)
8. The Dark Knight Rises (18.882.885)
9. Google (18.508.719)
10. The Hunger Games (18.431.626)

WIKIPÉDIA EM ESPANHOL

1. Facebook (11.217.715)
2. Arroba (símbolo) (7.376.763)
3. One Direction (7.289.565)
4. Go (6.444.603)
5. Cultura maya (5.651.808)
6. México (5.551.030)
7. España (5.148.508)
8. Segunda Guerra Mundial (5.116.003)
9. Voleibol (5.100.278)
10. Juegos Olímpicos de Londres 2012 (5.070.199)

WIKIPÉDIA EM PORTUGUÊS

1. Brasil (3.664.094)
2. Luiz Gonzaga (2.218.273)
3. Orkut (2.213.289)
4. Facebook (2.117.457)
5. One Direction (1.851.486)
6. Dia dos Namorados (1.776.702)
7. Voleibol (1.771.414)
8. Google (1.740.549)
9. Jogos Olímpicos (1.653 379)
10. Segunda Guerra Mundial (1.645.205)
11. Sport Club Corinthians Paulista (1.571.149)
12. Estados Unidos (1.560.082)
13. Revolução Industrial (1.456.203)
14. Bullying (1.452.686)
15. Jogos Olímpicos de Verão de 2012 (1.443.178)
16. Portugal (1.380.701)
17. Primeira Guerra Mundial (1.364.424)
18. Basquetebol (1.353.453)
19. Filosofia (1.343.145)
20. Contos de Grimm (1.336.529)
21. Maçonaria (1.289.440)
22. Independência do Brasil (1.289.300)
23. São Paulo Futebol Clube (1.201.025)
24. Mitologia grega (1.187.154)
25. Adolf Hitler (1.186.597)
26. Dia da Consciência Negra (1.184.358)
27. Renascimento (1.182.332)
28. Globalização (1.176.122)
29. Karl Marx (1.164.026)
30. Esteroide anabolizante (1.160.616)
31. Meio ambiente (1.157.351)
32. São Paulo (cidade) (1.149.626)
33. Johnny Depp (1.122.651)
34. Leonardo da Vinci (1.117.423)
35. Sistema Solar (1.111.951)
36. Anderson Silva (1.108.063)
37. The Vampire Diaries (série) (1.096.037)
38. Leis de Newton (1.083.264)
39. Eike Batista (1.082.706)
40. Demi Lovato (1.079.164)
41. Revolução Francesa (1.070.389)
42. Europa (1.059.398)
43. Dia das bruxas (1.010.211)
44. Romantismo (1.006.622)
45. Lionel Messi (1.003.466)
46. Glee (998.117)
47. Amor (997.046)
48. África (991.447)
49. Sexo anal (989.748)
50. Chuck Norris (978.665)
51. Guerra Fria (973.300)
52. Justin Bieber (973.231)
53. YouTube (970.765)
54. Neymar (962.624)
55. Selena Gomez (953.351)
56. Sociedade Esportiva Palmeiras (945.080)
57. Sustentabilidade (940.697)
58. WordPress (938.376)
59. Everybody Hates Chris (936.191)
60. The Walking Dead (935.511)
61. Dia do amigo (932.094)
62. The Beatles (932.025)
63. Internet (923.866)
64. Região Nordeste do Brasil (923.247)
65. RMS Titanic (918.547)
66. Barroco (916.252)
67. Cristiano Ronaldo (910.011)
68. Brasília (906.494)
69. Iluminismo (898.071)
70. Clube de Regatas do Flamengo (886.572)
71. Figura de linguagem (884.189)
72. Ética (883.636)
73. Sociologia (875.975
74. Canadá (869.572)
75. Batman (869.408)
76. Slipknot (866.499)
77. C (linguagem de programação) (866.183)
78. Getúlio Vargas (863.402)
79. Capitalismo (863.020)
80. Copa Libertadores da América (860.877)
81. Aquecimento global (856.632)
82. Avril Lavigne (852.759)
83. Aristóteles (852.005)
84. Sócrates (848.344)
85. Ian Somerhalder (843.848)
86. Tamanho do pênis humano (841.726)
87. Administração (833.672)
88. Alemanha (831.442)
89. Kurt Cobain (827.598)
90. Efeito estufa (823.273)
91. Reino Unido (820.122)
92. Proclamação da República do Brasil (813.113)
93. Oscar Niemeyer (808.813)
94. Psicologia (807.646)
95. Água (802.321)
96. Albert Einstein (801.352)
97. Espanha (793.630)
98. Carnaval (787.293)
99. Illuminati (784.980)
100. Adele (784.071)

Servidores enceraram greve mas regional ficou sem médico plantonista

foto: Hiago torres

O senhor conhecido por lidio morador do bairro Alto da Maravilha, 79 anos, que chegou por volta das 10h30, deste sábado (29), no Hospital Regional, continua na sala vermelha da unidade hospitalar em observação.

Segundo funcionários do hospital o paciente deu entrada apresentando um quadro cardiorrespiratório comprometido e hipoglicemia. Oficialmente o hospital encerrou a greve dos servidores que exigiam o pagamento do 13º salário – mas, a casa de saúde passou toda manhã sem médico plantonista.

 O novo Secretário de Saúde Dr. Washington Luis Sobreira da Silva, confirmou pela manhã em entrevista no programa “Falando Tudo” veiculado pela rádio Caraíba AM, que um médico já foi contratado para ser o plantonista deste sábado no regional.

Falandotudo.com

População carcerária no Brasil tem 3º maior aumento do mundo

O número de pessoas presas no Brasil cresceu 6% somente nos seis primeiros meses deste ano, intensificando uma tendência que fez do Brasil um dos três países do mundo com maior aumento da população carcerária nas últimas duas décadas. Segundo dados recém-divulgados pelo Ministério da Justiça, o número total de presos em penitenciárias e delegacias brasileiras subiu de 514.582 em dezembro de 2011 para 549.577 em julho deste ano.

Uma das principais consequências desse aumento é a superlotação das prisões, já que novas vagas não são criadas na mesma velocidade que o aumento do número de presos. Em julho, havia um déficit de 250.504 vagas nas prisões do país, segundo os dados oficiais. Em 1992, o Brasil tinha um total de 114.377 presos, o equivalente a 74 presos por 100 mil habitantes. Em julho de 2012, essa proporção chegou a 288 presos por 100 mil habitantes. No período, houve um aumento de 380,5% no número total de presos e de 289,2% na proporção por 100 mil habitantes, enquanto a população total do país cresceu 28%.

Segundo levantamento feito a pedido da BBC Brasil pelo especialista Roy Wamsley, diretor do anuário online World Prison Brief (WPB), nas últimas duas décadas o ritmo de crescimento da população carcerária brasileira só foi superado pelo do Camboja (cujo número de presos passou de 1.981 em 1994 para 15.404 em 2011, um aumento de 678% em 17 anos) e está em nível ligeiramente inferior ao de El Salvador (de 5.348 presos em 1992 para 25.949 em 2011, um aumento de 385% em 19 anos).

Se a tendência de crescimento recente for mantida, em dois ou três anos a população carcerária brasileira tomará o posto de terceira maior do mundo em números absolutos da Rússia, que registrou recentemente uma redução no número de presos, de 864.197 ao final de 2010 para 708.300 em novembro dese ano, segundo o último dado disponível.

“Por mais esforço que o Estado faça, não dá conta de construir mais vagas no mesmo ritmo”, admite o diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, Augusto Rossini.

Segundo ele, o crescimento acelerado no número de prisioneiros no país é consequência tão somente do aumento da criminalidade, mas também do endurecimento da legislação penal, da melhoria do trabalho da polícia e da maior rapidez da Justiça criminal.

“Recompensa nas urnas”

Alguns críticos, porém, afirmam que falta ao Executivo e ao Legislativo no Brasil uma vontade política para encontrar saídas alternativas à prisão e evitar o aumento descontrolado no número de prisioneiros. “A sociedade ainda não pode abrir mão da prisões, mas elas deveriam servir só para conter os criminosos de alto risco”, defende José de Jesus Filho, assessor da Pastoral Carcerária Nacional.

Para ele, “entre 70% e 80% dos presos” poderiam cumprir penas alternativas, como compensação às vítimas, prestação de serviços à comunidade, vigilância à distância e recolhimento noturno.

“Isso também reduziria a taxa de reincidência e o custo para o Estado de manter tantos presos”, diz. “Mas as razões do Estado são políticas, não necessariamente de interesse público, então não há vontade para investir nisso”, critica.

Um dos maiores especialistas do mundo no tema, o finlandês Matti Joutsen, faz coro ao argumento. Diretor do Instituto Europeu para Prevenção e Controle ao Crime (Heuni), órgão consultivo da ONU, Joutsen diz que em vários países há “uma vontade em particular dos políticos em encontrar soluções fáceis para problemas vexatórios”.

“Seus cidadãos estão preocupados com mais roubos ou assaltos? Aumente a punição. Há mais histórias sobre tráfico de drogas na mídia? Aumente a punição. Houve algum caso particularmente repulsante de estupro ou sequestro? Aumente a punição. Nunca se importam em tentar melhorar as políticas sociais, oferecer aos criminosos em potencial alternativas de vida ou investir em medidas de prevenção”, observa.

Segundo ele, essas alternativas “não trazem as mesmas promessas de recompensa imediata nas urnas”. “‘Endurecer contra o crime’ sempre cai bem com a sua base política e é certamente um chamariz de votos”, afirma.

Penas alternativas

O diretor do Depen afirma que o interesse do governo é reduzir o número de presos e aumentar a aplicação de penas alternativas, além de oferecer programas de ressocialização que permitam a remissão das penas dos condenados e evitem a reincidência após a soltura.

Mas ele observa que grande parte desse esforço depende da Justiça e dos legisladores. “Se os eleitores clamam por mais Justiça, os deputados e senadores não podem ficar alheios a isso. Dar uma resposta à sociedade também é importante para que ela não saia fazendo Justiça com as próprias mãos”, observa.

Segundo ele, a prisão também tem um importante aspecto de prevenção ao crime. “O povo teme a prisão, e muitos deixam de cometer crimes porque temem ir para a cadeia”, afirma. Entretanto alguns críticos contestam esse argumento e afirmam que, ao invés de prevenir crimes, o aprisionamento em massa pode ter o efeito de elevar a criminalidade.

Um estudo publicado em 2007 por Don Stemen, diretor de pesquisas do Center on Sentencing and Corrections, dos Estados Unidos, argumenta que não existe uma relação direta entre prisões e criminalidade.

Ao analisar dados de diversas pesquisas que tentaram estabelecer essa relação com base em dados americanos, ele aponta que diferentes metodologias e períodos analisados indicaram desde uma redução de 22% no crime com um aumento de 10% nas taxas de encarceramento até um aumento pequeno na criminalidade.

No Brasil, vários indicadores de criminalidade também continuaram aumentando nas últimas duas décadas, apesar das taxas recorde de aprisionamento.De acordo com dados do Ministério da Saúde, o número total de homicídios no país passou de 31.989 em 1990 para 52.260 em 2010 (aumento de 63%). Na proporção por 100 mil habitantes, houve um aumento de 23% (de 22,2 homicídios por 100 mil habitantes para 27,3 por 100 mil).

“Mentalidade criminosa”

Para Matti Joutsen, do Heuni, é possível que o aumento no número de prisioneiros provoque um aumento na violência. “Os prisioneiros são geralmente soltos na sociedade após alguns anos, e se não há tentativas efetivas de reabilitá-los e de prepará-los para a soltura, eles estarão em sua maioria mais propensos a cometer novos crimes”, afirma.

“Afinal de contas, por cortesia do governo, eles acabaram de passar os últimos anos entre um grande número de criminosos, formando novas alianças, aprendendo novas técnicas criminosas, conhecendo novas oportunidades criminais e formando sua ‘mentalidade criminosa’”, argumenta.

Para ele, “quando os criminosos são soltos de volta para as favelas de São Paulo, do Rio de Janeiro ou de qualquer outro lugar sem um trabalho, sem uma casa e com perspectivas muito ruins, é muito provável que adotem novamente um estilo de vida criminoso”, diz.

Joutsen observa que a superlotação e as condições precárias do sistema prisional brasileiro tornam “praticamente impossível” a implementação de qualquer programa de larga escala para promover a ressocialização dos presos.

“Como você ensina uma profissão a uma pessoa, provê educação básica, promove valores básicos e prepara ela para voltar à comunidade em liberdade, pronta para encontrar um emprego, estabelecer uma família, encontrar uma casa e se adequar à sociedade quando o governo já tem restrições em seus gastos e não há aparentemente vontade política de gastar os recursos limitados com os prisioneiros?”, questiona.

Para José de Jesus Filho, da Pastoral Carcerária, falta ao governo um plano para reintegração social dos presos. “No final do ano passado, o governo anunciou um plano de US$ 1,1 bilhão para a construção de 42,5 mil novas vagas em presídios, mas não alocou nem um centavo para a ressocialização dos presos”, critica.

“O que existem são apenas projetos-piloto, sem a dimensão necessária. Não é uma política universal do Estado”, afirma. Para ele, a função do encarceramento em ressocializar o criminoso está sendo deixada de lado, e as prisões no país “são vistas mais como meio de vingança da sociedade e de isolamento das populações mais marginalizadas”.

O diretor do Depen afirma que o governo brasileiro “reconhece seus problemas e vem se esforçando por uma política criminal correta, que gere segurança para as pessoas e ajude a ressocializar os presos”. “Estamos constantemente em busca de soluções”, afirma.*

Fonte: Terra

Nívea Stelmann é parada em blitz da Lei Seca: “Sopro com vontade!”

A atriz diz que seu carro sempre é parado pelos fiscais e policiais

 

Nívea Stelmann se divertiu ao ser parada pela blitz da Lei Seca do Rio de Janeiro na madrugada deste sábado (29). A atriz, que sempre é parada pelos fiscais e policiais, aproveitou para tirar foto do momento em que fazia o teste do bafômetro e postou em seu Twitter dizendo que não costuma ingerir bebidas alcoólicas.

“A sorte é que não bebo nunca. Sopro com vontade!”

Ela também chegou a sugerir que algo nela ou no carro deve chamar muito a atenção dos oficiais por ser parada tantas vezes na blitz.

“Ou eu tenho cara de bêbada ou meu carro chama muita atenção. Sou parada sempre.”

 

Jaguarari: homem é assassinado a tiros na porta de casa

Foi assassinado na madrugada deste sábado (29/12). a pessoa de PAULO BALDOINO DE JESUS, conhecido por CABECINHA, com vários tiros de arma de fogo, na rua do Campo em Jaguarari.
O fato aconteceu por volta das 01h50min, que segundo informações colhidas pela Polícia no local, CABECINHA ao chegar à sua residência foi executado a tiros por elementos não identificados até o momento, ainda segundo informações os mesmos andavam em um veiculo de cor preta.
A Policia técnica foi acionada e esteve no local para as providencias de praxe, o corpo de CABECINHA foi removido para o IML de Sr. do Bonfim para exame de necropsia.
Com este já são três homicídios só neste mês em Jaguarari.

Portal Jaguarari com informações da Polícia Civil

Definida a programação da posse do prefeito ,vice e vereadores de Senhor do Bonfim

O presidente da Câmara Municipal de Senhor do Bonfim, vereador João Carlos Bernardes Pereira Junior (PV), promoveu reunião sexta-feira (28), na sede do Poder Legislativo, e definiu a programação da solenidade de POSSE dos vereadores, prefeito e vice prefeito elitos na elição de sete de outubro de 2012.

 

 

Conforme disposto no artigo 18 da Lei Orgânica do Município de Senhor do Bonfim , o  vereador Helson de Carvalho (PMDB),  vai presidir a sessão solene de posse para legislatura 2013/2016. A lei orgânica privilegia o vereador que tem maior numero de mandatos entre os eleitos para conduzir os trabalhos na primeira sessão de posse e eleição da mesa. Helson de Carvalho soma seis mandatos no legislativo municipal. A solenidade terá início às 18 horas, no salão Joaquim Muricy Sobrinho

ROTEIRO:

Posse dos 13 vereadores (juramento e assinatura do termo de posse);
Eleição da mesa da câmara para o biênio 2013-2014;
Posse da nova mesa;
Posse do Prefeito e Vice Prefeito de Senhor do Bonfim (juramento e assinatura dos termos de posse);
Transição de Governo;
Palavra Franqueada para Vereadores, Vice-Prefeito, Prefeito, e autoridades presentes;
Encerramento.

Ás 21 horas – SHOW MUSICAL

 

Jogadores elegem Muller como o pior comentarista de TV

O ex-jogador Muller, atualmente no canal Sportv, foi eleito, com sobras, o pior comentarista do Brasil em pesquisa feita pelo UOL Esporte com 100 jogadores de 15 equipes do país. O ex-atacante da seleção brasileira teve 35% dos votos, quase o triplo do segundo colocado, Neto, da TV Bandeirantes, que ficou com 12%. Na terceira colocação ficou Paulo César Vasconcelos, do Sportv, com 9%.

Casagrande, da TV Globo, com 6%, foi o quarto. Renato Maurício Prado, da Fox Sports, teve 3%. Edmundo, da Band, Bob Farias e Roger Flores, do Sportv, tiveram 2%. Maurício Noriega, do Sportv, Paulo Vinícius Coelho, da ESPN, e o CQC, da Band, tiveram 1%.

Sob anonimato, atletas de São Paulo, Corinthians, Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Atlético-MG, Flamengo, Vasco, Fluminense, Botafogo, Grêmio, Internacional, Figueirense, Goiás e Vitória votaram em 13 quesitos, que serão publicados ao longo dos próximos dias em uma série com dez edições.

Na última quinta-feira, o UOL Esporte mostrou qual é a dupla perfeita para a transmissão de um jogo de futebol na opinião dos jogadores.

Milton Leite foi eleito o melhor narrador, com 25% dos votos. Superou por pouco o companheiro global Cleber Machado, que teve 23%. Outro nome da emissora ficou na terceira colocação: Galvão Bueno, com 18%. Luiz Roberto, outro da Globo, foi o quarto, com 15%.

Luiz Carlos Junior, do Sportv, teve 7%. Pedro Ernesto Denardim, da Rádio Gaúcha, teve 2%, um a mais do que o uruguaio Alberto Kesman.

Como comentarista, Caio Ribeiro deu uma lavada na concorrência e foi escolhido o melhor com 49%. O ex-jogador Junior teve 16%. Completando o pódio global, Casagrande ficou em terceiro, com 9%. Lédio Carmona, do Sportv, teve 7%. Rafael Rezende, do Sportv, e Paulo Vinícius Coelho, da ESPN, tiveram 4%. Mauro Beting, da Bandeirantes, teve 1%.

Abel Braga, do Fluminense, foi o preferido entre os jogadores brasileiro como o melhor treinador de 2012. Ele venceu com 38% dos votos.

Muricy Ramalho, do Santos, foi o preferido de 19% dos entrevistados. Vanderlei Luxemburgo, do Grêmio, teve 9%, um a mais do que Tite, do Corinthians.

Na quinta colocação, uma surpresa entre os boleiros brasileiros: Pep Guardiola, ex-Barcelona e agora desempregado, com 6%.

Na mesma pesquisa, Neymar foi eleito o melhor jogador em atividade no futebol brasileiro, com 89% dos votos.

Já Fred foi eleito o melhor jogador do Campeonato Brasileiro. Artilheiro da competição com 20 gols marcados, o atacante do Fluminense recebeu 27% dos votos, seguido muito de perto por Ronaldinho Gaúcho, com 23% e Neymar, com 19%.

Explica-se: o jogador do Santos participou apenas de 17 partidas das 38 da equipe no campeonato, e por isso não foi escolhido, apesar de ser o melhor do país na opinião dos companheiros.

Além dos três, também foram lembrados Juninho Pernambucano (8%), Diego Cavalieri (6%), Bernard (4%), Wellington Nem (3%), Lucas (2%), Paulinho (2%) e Seedorf (2%). Outros atletas juntos somaram 4%.

Por: Redação Bocão News

Novo secretário de saúde de Bonfim confirma entrevista no falando tudo deste sábado na rádio Caraíba

O médico pediatra Washington Luis Sobreira da Silva, novo secretario de saúde do município de Sr do Bonfim confirmou entrevista ao vivo no programa falando tudo da rádio Caraíba AM 850 – neste sábado (29).

O fim da greve no hospital regional e os novos desafios da sua gestão serão discutidos na conversa radiofônica. O programa acontece aos sábados das 10h às 12h e é líder de audiência na grade de programação da emissora.

Jeorge Katatal, Ricardo Aquino, Reli Kuim (repórter), Oscar Val verde (repórter), Eduardo Estiva (repórter) Ogmar Andrade (sonoplastia), Javan Pereira (controle de gravação) e Hiago Torres (produção) formam a equipe de produção do falando tudo no rádio.

falandotudo.com – Acesse e veja que é diferente


Encerrada greve no Hospital Dom Antônio Monteiro

Os funcionários do Hospital Regional Dom Antônio Monteiro (HDAM), da cidade de Senhor do Bonfim, encerraram a greve da categoria, no fim da tarde desta sexta-feira (28).A paralisação foi deflagrada na terça-feira(18),pelo Sindicato dos Servidores do Hospital (Sind+Saúde), por motivo de atraso no décimo terceiro do salário dos trabalhadores.

Conforma comunicado a reportagem do falandotudo.com – as equipes retornam normalmente ao trabalho em todos os setores a partir das 6 da manhã de sábado (29). A negociação para terminar o estado de greve envolveu a direção do hospital, sindicato, comissão de funcionários e o futuro secretário de saúde Dr. Washington Luis Sobreira da Silva.

Ficou acordado conforme a representante do comando de greve a sindicalista Mara Lisboa, o seguinte encaminhamento; uma parcela de R$ 78 mil referente aos  R$ 50 mil repassados pela câmara e mais 28 mil pago pelo governo atual,  para ser rateado entre os servidores no dia cinco de janeiro. O  restante da dívida (em  torno de 115 mil) dividida em parcelas para   30/01, 28 e 29/02, 30 /03 e a última parcela para  30 de abril de 2013. O Hospital Regional Dom Antônio Monteiro sofre intervenção do município de Senhor do Bonfim há mais de uma década.

Falandotudo.com –o novo site de noticia de Sr do Bonfim