Câmara de Senhor do Bonfim quebra recesso e realiza sessão extraordinária hoje

O presidente do legislativo, vereador João Carlos Bernardes Junior Biro- Biro (PV), está confirmando uma reunião extraordinária para acontecer a partir das 18h, desta quarta-feira, 26, no salão nobre da Câmara de Vereadores Joaquim Muricy Sobrinho. A convocação urgente será para discutir a respeito de  projeto do executivo solicitando ao legislativo a devolução de recursos financeiros para destinar ao hospital Dom Antonio Monteiro.

A unidade de saúde em greve desde o dia 18 de dezembro vive momentos de extrema dificuldade com a maior parte funcionários sem receber os rendimentos mensais, inclusive o pagamento do 13º salário. Segundo informações do tesoureiro do executivo, vereador Otavio Xisto (PMN), o valor devolvido poderá ser superior a 70 mil reais. Funcionários da casa de saúde confirmaram para reportagem do falndotudo. que vão acompanhar com  atenção a  sessão especial. O executivo municipal tinha encerrado suas atividades oficialmente em 2012, no último dia 18 de dezembro.

falandotudo.com- O novo site de Sr do Bonfim

Corpo de Dona Canô será enterrado nesta quarta-feira

foto g1

O corpo de Dona Canô será velado até às 18h desta terça-feira, na residência dela, apenas com presença de familiares. Depois o caixão será levado para o Memorial Caetano Veloso, na Praça da Purificação, para que os moradores possam se despedir. No local, também será celebrada uma missa de corpo presente. O enterro está marcado para quarta-feira (26), às 10h, no cemitério de Santo Amaro.

Dona Canô, de 105 anos, mãe de Caetano Veloso e  Maria Bethânia, morreu nesta terça-feira (25), em casa na cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

Ela  recebeu alta do Hospital São Rafael, em Salvador, na sexta-feira (21), após passar seis dias internada, por conta de uma ataque isquêmico cerebral, o que provoca a diminuição do fluxo de sangue nas veias do cérebro.

Para deixar a unidade, Dona Canô solicitou um vestido novo e branco. Ela foi para casa acompanhada do amigo da família Edson Nascimento e da filha Mabel. A cantora Maria Bethânia seguiu em outro carro.

A matriarca completou 105 anos no dia 16 de setembro de 2012. Para comemorar a data, reuniu amigos e a família em missa e em casa. A festa também contou com a presença da amiga Regina Casé.

Dona Canô teve oito filhos. Em 2011, ela perdeu a filha adotiva Eunice Veloso, aos 83 anos, que morreu com insuficiência respiratória. O filho famoso, Caetano Veloso, fez 70 anos em agosto deste ano. Em dezembro, assistiu a um show de Maria Bethânia, no Teatro.

Segundo familiares, ela nunca teve problemas graves de saúde. Em 5 de novembro de 2012, a matriarca foi internada depois de apresentar sintomas de gripe com febre. Ela ficou hospitalizada até o dia 9.

Anvisa suspende lote irregular de protetor solar

Creme protetor Bluecare Solar apresentou resultados insatisfatórios em vários fatores.Órgão orienta que as pessoas devem interromper o uso

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nesta sexta-feira, no Diário Oficial da União, a suspensão da venda, em todo o País, do lote 134802F do produto Creme Protetor para a pele Professional Solar UVA+UVB- FPS 30, fabricado pela empresa Maria de Lourder Wellausen Fleck- ME.

O órgão regulador informa em sua página na internet que “o creme registrado na Anvisa com o nome comercial de Creme Protetor para a pele Bluecare Solar apresentou resultados insatisfatórios nos ensaios de rotulagem, determinação de pH, teor de methoxycinnamate e teor de octyl salicilate”.

A Anvisa esclareceu ainda que a suspensão dura o tempo necessário para a regularização dos produtos e tem validade imediata, além de advertir que as pessoas que já compraram algum dos produtos devem interromper o uso.

Fonte: Agência Estado

Morre Dona Canô Veloso

Claudionor Vianna Telles Velloso, 105, a Dona Canô, morreu nesta terça-feira (25) em sua casa, na cidade de Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo Baiano.

O velório de Dona Canô será realizado a partir das 17h (de Brasília), no Memorial Caetano Veloso, em Santo Amaro (67 km de Salvador). O enterro será na amanhã.

“O clima está tenso, de muita comoção”, disse uma amiga da família à Folha, de nome Rose (não quis falar o sobrenome). É ela quem está atendendo ao telefone celular de Mabel Velloso, uma das filhas de Dona Canô.

Ainda segundo Rose, a matriarca morreu por volta das 8h. A família já esperava pelo pior. Tanto que não fez a tradicional ceia de Natal, na noite desta segunda (24), mesmo com todos reunidos, inclusive Caetano e Bethânia.

Na sexta (21), Dona Canô recebeu alta do Hospital São Rafael, em Salvador, onde apresentou um quadro de isquemia, embora tivesse sofrido uma “leve piora”.

“O maior desejo de D. Canô é passar este momento da sua vida no seu ambiente familiar”, disse o boletim médico, acrescentando que ela havia atingido um estágio de estabilidade hemodinâmica e respiratória “minimamente satisfatório” para garantir a alta hospitalar com assistência domiciliar de “cuidados avançados”.

“Vale salientar que a idade avançada da paciente e a sua significativa restrição pulmonar e neurológica trazem para ela uma grande limitação funcional. Entretanto, o maior desejo de D. Canô é passar este momento da sua vida no seu ambiente familiar”, falava o texto.

Em 16 de setembro, quando completou 105 anos com grande festa em Santo Amaro da Purificação (a 67 km de Salvador), onde mora, disse à Folha não ter medo da morte. “Não tenho, não, meu filho. Acredito em Deus e sempre vivi com a minha família, com pessoas do meu lado, com a casa cheia. Acho que esse é o segredo [da longevidade]”.

Dona Canô

Dona Canô nasceu no dia 15 de setembro de 1907, em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Mãe dos cantores Caetano Veloso e Maria Bethânia, dona Canô se tornou uma das personagens mais ilustres de Santo Amaro e do próprio Estado da Bahia.

Casou-se em 1930 com José Teles Velloso, mais conhecido por Zeca ou seu Zezinho, funcionário público dos Correios, que morreu em dezembro 1983, aos 82 anos.

“Eu me casei com vinte e três anos. Eu já conhecia Zeca, através de um amigo dele. (…) Nós íamos todo dia passear na praça. Naquele tempo se passeava muito na praça, hoje não se pode. (…) Quando foi um dia, Zeca disse que ia falar com Papaizinho [pai de D. Canô] e que a gente ia se casar. Eu disse: Oxente!”

O casamento foi marcado com pressa, porque o Zeca ia ser transferido. (…) Nós casamos no dia 7 de janeiro de 1931.” * [trecho de “Canô Velloso – Lembranças do Saber Viver”]

Teve oito filhos, sendo a primogênita Maria Clara, e a cantora Bethânia a mais nova.

“Quando Maria Clara nasceu eu estava com um ano e dois meses de casada. (…) os outros é que vieram, não sei por que, tão ligeiro assim, um atrás do outro. Um atrás do outro não, porque, de Clara para Mabel foram dois anos, de Mabel para Rodrigo não demorou, foram onze meses, de Rodrigo para Roberto cinco anos, de Roberto pra Caetano quatro anos, de Caetano para Bethânia quatro anos. Só de Mabel para Rodrigo foi rápido.”

INFLUÊNCIA POLÍTICA

Dona Canô ganhou mais prestígio em Santo Amaro (BA) do que qualquer político, empresário ou líder religioso da cidade. Na cidade de 60 mil habitantes, localizada no recôncavo baiano (a 71 km de Salvador), ela era considerada mais influente até do que seus dois filhos ilustres, Caetano Veloso e Maria Bethânia.

Em época de eleição municipal era assediada por políticos de todos os espectros, que buscavam seus conselhos. Dona Canô era a primeira a ser ouvida pelo prefeito quando o município precisava tomar uma decisão, e também recebia visitas de empresários que queriam sua bênção para se instalar na cidade.

Sua casa, a de número 179 na avenida Vianna Bandeira, no centro, é ponto turístico de Santo Amaro.

ACM E LULA

Dona Canô possuía uma forte e antiga amizade com o senador Antônio Carlos Magalhães (ACM) e, por extensão, com seu grupo de aliados, que mantiveram a hegemonia do poder no Estado durante décadas. Ela esteve presente na missa em homenagem em homenagem a ACM, que faria 80 em 2007, mas morreu em junho daquele ano.

A amizade que desfrutou com o influente ACM permitiu a dona Canô conseguir diversos projetos de melhoria para Santo Amaro, como a reforma e iluminação da igreja matriz da cidade, ou a construção de um teatro com 380 lugares. O governo do Estado também lhe enviava, sempre que solicitado, doações de artigos como cadeiras de rodas, colchões e agasalhos, que Dona Canô distribuía para centenas de pessoas que se aglomeram na porta de sua casa.

Apesar de tanta influência, a matriarca dos Velloso era humilde: “Se hoje me reconhecem é por causa dos meus filhos. Eu não sou nada”, afirmou ela em entrevista à Folha, em 2000.

A ligação de Dona Canô com Lula também é notória. Em 2002, nas vésperas da votação que daria a Lula seu primeiro mandato presidencial, ela telefonou ao então candidato, e lhe parabenizou pela campanha, chegando inclusive a cantar o jingle da campanha de Lula no telefone, acompanhada de sua família.

DESAUTORIZANDO CAETANO

Lula também foi o motivo de uma das últimas polêmicas protagonizadas por Dona Canô, em 2009, desta vez envolvendo seu filho. Caetano disse em entrevista ao jornal “Estado de São Paulo” em 5 de novembro, que apoiava a candidatura de Marina Silva à presidência da República, porque ela “é inteligente como o Obama, não é analfabeta como o Lula, que não sabe falar, é cafona falando, grosseiro.”

A declaração obteve grande repercussão, o que fez Dona Canô manifestar intenção de ligar ao presidente para pedir desculpas, em nome de Caetano. “Lula não merece isso. Quero muito bem a ele. Foi uma ofensa sem necessidade. Caetano não tinha que dizer aquilo. Ele é só um cantor. Vota em Lula se quiser, não precisa ofender nem procurar confusão.”

A polêmica foi encerrada poucos dias depois, quando Lula ligou pessoalmente para Dona Canô para perdoar Caetano pela declaração. “Não fique chateada, preocupada, porque gosto muito da senhora e gosto do Caetano também. Está tudo bem, essas coisas acontecem”, disse o ex-presidente.

SINCRETISMO

Religiosa, liderou durante anos a Novena de Nossa Senhora da Purificação, popularmente conhecida como Novena de Dona Canô, tradição católica de quase três séculos que acontece sempre na última semana de janeiro. Essa devoção não a impediu de comandar também as baianas adeptas do candomblé na festa da lavagem da escadaria da igreja.

Daniel Alves curte show do aviões do Forro em Juazeiro

Curtindo as férias na sua terra natal, o lateral direito do Barcelona, Daniel Alves, aproveitou o show do Aviões do Forró no segundo dia de Verão do Perna-Longa.

Solange Almeida, vocalista do grupo, publicou em seu perfil no Twitter uma foto ao lado do jogador, no palco da banda, durante o intervalo da apresentação, neste domingo, 23, em Juazeiro.

“Presença ilustríssima do querido Dani Alves, filho de Juazeiro e Aviaozeirooo”, escreveu a cantora. O lateral também posou com Xand.

Por; Glauber Dantas

 

 

6ºBPM REALIZA OPERAÇÃO FINAL DE ANO EM SENHOR DO BONFIM

Durante todo o mês de dezembro, em Senhor do Bonfim, o 6º Batalhão de Polícia Militar está realizando a Operação Final de Ano, para garantir a segurança da população. Nesta época, a grande circulação de dinheiro, por conta do recebimento do 13º salário e das compras de Natal, atrai pessoas que vão às ruas com intenção de cometer delitos como furtos e roubos.

A Polícia Militar mobilizou todo seu efetivo, com viaturas de quatro e duas rodas, nos pontos de grande fluxo de pessoas, e, nas áreas comerciais, com o policiamento a pé.

O Tenente Coronel PM Anselmo Bispo lembra: “Nesta última semana do ano, a atenção e os esforços são redobrados, com a extensão dos horários para o funcionamento do comércio, estendemos também os horários do policiamento a pé, para a maior tranqüilidade dos cidadãos”.

Ascom – 6° Batalhão de Polícia Militar

O VÍCIO DA CORRUPÇÃO NO BRASIL (ALIMENTADO PELA IMPUNIDADE E PELA “VERGONHA DE SER HONESTO”)

A Revista Eletrônica Consultor Jurídico publicou na edição de 5 de novembro (2012) notícia que apresenta resultado de pesquisa, mostrando as 10 (dez) práticas de corrupção mais comuns no dia a dia do brasileiro, considerando apenas as práticas ocorridas no ambiente privado.

É que, para o brasileiro, as práticas de corrupção no ambiente público são tão expressivas que ele não encara as práticas ocorridas no ambiente privado como sendo corruptas, enxergando-as como práticas comuns, como aponta o promotor de Justiça Jairo Cruz Moreira, coordenador nacional da campanha de combate à corrupção do Ministério Público. Diz o promotor: “Muitas pessoas não enxergam o desvio privado como corrupção. Só levam em conta a corrupção no ambiente público”.

A pesquisa, realizada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e noticiada pela Revista Consultor Jurídico diz que “quase um em cada quatro brasileiros (23%), afirma que dar dinheiro a um guarda para evitar uma multa não chega a ser ato corrupto”, o que revela o grau de enraizamento de atitudes ilícitas em parte da sociedade brasileira, praticadas no cotidiano e tidas como práticas comuns, não corruptivas.

Em recente pesquisa feita em 183 países, a ONG Transparência Internacional constatou que, como vem ocorrendo tradicionalmente, as nações mais bem situadas no Índice de Percepção da Corrupção, em 2011, na escala de 0 a 10, são Nova Zelândia (9,5), Dinamarca (9,4), Finlândia (9,4), Suécia (9,3) e Cingapura (9,2). O grau de corrupção na sociedade brasileira cresceu em relação aos últimos anos, colocando o país no vergonhoso percentual de 73%, com pontuação de 3,8 na escala de 0 a 10. Na outra ponta da tabela aparece Somália (1), Coreia do Norte (1), Mianmar (1,5) e Afeganistão (1,5).
As 10 (dez) práticas de corrupção mais comuns no dia a dia do brasileiro, segundo a pesquisa da UFMG, no ambiente privado, são as seguintes:

1-Não dar nota fiscal; 2-Não declarar Imposto de Renda; 3-Tentar subornar o guarda para evitar multas; 4-Falsificar carteirinha de estudante; 5-Dar/aceitar troco errado; 6-Roubar sinal de TV a cabo; 7-Furar fila; 8-Comprar produtos falsificados; 9-No trabalho, bater ponto pelo colega; 10-Falsificar assinaturas.

De acordo com o promotor de Justiça Jairo Cruz Moreira aceitar essas pequenas corrupções legitima aceitar grandes corrupções. E completa: “Seguindo esse raciocínio, seria algo como um menino que hoje não vê problema em colar na prova ser mais propenso a, mais pra frente, subornar um guarda sem achar que isso é corrupção”, diz.

Segundo a pesquisa da UFMG, 35% dos entrevistados dizem que algumas coisas podem ser um pouco erradas, mas não corruptas, como sonegar impostos quando a taxa é cara demais, o que significa a consolidação do entendimento de que “todos erram, logo, eu também posso errar”, o que configura CRENÇA ABSOLUTA NA IMPUNIDADE.

Essa consciência coletiva de CRENÇA ABSOLUTA NA IMPUNIDADE nos leva a duvidar que julgamentos como o recente caso do Mensalão possam resultar em punição para os culpados, causando surpresa à grande maioria do povo brasileiro as condenações aplicadas e isso nos leva a refletir sobre o caráter profético de palavras empregadas pelo grande jurista brasileiro, Rui Barbosa, quando exercia o seu mandato de Senador da República, no dia 17 de dezembro de 1914, defendendo requerimento de sua autoria, em que reivindicava providências no sentido de evitar que policiais acusados de promover a chacina de prisioneiro permanecessem impunes, apesar de serem réus confessos.

Indignado com a situação, que ficou conhecida por Caso Satélite, Rui Barbosa pronunciou-se no plenário do Senado Federal, dizendo:

“A falta de justiça, Srs. Senadores, é o grande mal da nossa terra, o mal dos males, a origem de todas as nossas infelicidades, a fonte de todo o nosso descrédito, é a miséria suprema desta pobre nação. (…). A injustiça, Senhores, desanima o trabalho, a honestidade, o bem; cresta em flor os espíritos dos moços, semeia no coração das gerações que vêm nascendo a semente da podridão, habitua os homens a não acreditar senão na estrela, na fortuna, no acaso, na loteria da sorte, promove a desonestidade, promove a venalidade…(…)”.

E concluiu o eminente jurista, como se estivesse profetizando (e por isso transcrevo as suas palavras em letras maiúsculas para chamar a atenção dos leitores):

“DE TANTO VER TRIUNFAR AS NULIDADES, DE TANTO VER PROPSERAR A DESONRA, DE TANTO VER CRESCER A INJUSTIÇA, DE TANTO VER AGIGANTAREM-SE OS PODERES NAS MÃOS DOS MAUS, O HOMEM CHEGA A DESANIMAR DA VIRTUDE, A RIR-SE DA HONRA, A TER VERGONHA DE SER HONESTO…”.

A Chacina do Caso Satélite se deu no ano de 1914, já transcorreu quase um século. E a impunidade no Brasil continua a mesma, alimentando a ideia de que o certo é levar vantagem em tudo, ainda que os meios empregados não sejam lícitos, corretos, honestos. Lamentavelmente!!!

*Maraísa Santana é advogada, especializada em Direito Público e Controle Municipal, com habilitação para o Ensino Superior de Direito, integrante do Escritório SANTANA ADVOCACIA, com unidades em Senhor do Bonfim (Ba) e Salvador (Ba).

Pelezinho deixa o Flu de Feira para trabalhar em prefeitura

O lateral-esquerdo Pelezinho não vai mais jogar o Baianão 2013. Aos 22 anos, ele resolveu deixar o futebol de lado para trabalhar na prefeitura de São Francisco do Conde. A informação foi publicada no site oficial do Fluminense de Feira. Segundo nota, outros atletas do elenco teriam ouvido de Pelezinho que ele iria ganhar R$ 5 mil como funcionário público.

Ele treinava no Touro do Sertão há três dias quando resolveu deixar o clube, anes de um amistoso contra a Seleção de Conceição do Jacuípe. O técnico Zanata pensava em utilizar o lateral como meia-armador. “Infelizmente ninguém está livre destas situações. Paicência. O atleta é que sabe o melhor para si e vai cuidar da sua vida, assim como vamos seguir com a nossa”, disse o comandante. Pelezinho já jogou no Vitória, no Bahia de Feira e no Atlético de Alagoinhas.

ibahia

O fim da troca de arquivos está chegando

Enquanto muita gente se preparava para o Natal, esteve no Brasil na última semana o escritor Glyn Moody. Ele é autor do livro “Rebel Code” (Código Rebelde), que fala do surgimento do Linux e, de tabela, do movimento “código aberto”. Moody escreve para revistas como “Wired” e “The Economist”. Em palestra no Rio, fez exercícios de futurologia. Disse que o compartilhamento de arquivos pela internet pode estar com os dias contados. A razão não tem nada a ver com direitos autorais. Mas sim com a “lei de Moore”, que diz que o número de transistores em circuitos integrados dobra a cada dois anos. Um disco rígido hoje, com capacidade para armazenar um terabyte de informação, custa US$ 50 (cerca de R$ 105). Nele dá para armazenar 150 mil músicas em MP3. Graças à lei de Moore, em alguns anos um disco rígido terá um petabyte de informação e custará os mesmos US$ 50. Isso dá para armazenar todas as músicas que foram gravadas na história da humanidade (sem precisar comprimir em MP3). Quem esperar mais alguns anos poderá comprar um disco de um exabyte, suficiente para armazenar todos os filmes já produzidos. O que virá depois? Capacidade de armazenar toda a informação da internet na palma da mão? Poucos escritores de ficção científica arriscaram-se a descrever um mundo assim (um é o inglês Alastair Reynolds). Todos os filmes e músicas já feitos, em um único HD. Está aí um bom presente para o Natal de 2022.